sábado, 2 de abril de 2016

Causos – 5º da série

A peruca dos Lordes

Os tribunais em todo país têm um cerimonial que, muitas vezes, constrange as pessoas que estão pouco acostumadas com o ambiente ou, mesmo, novos advogados.
Pois bem. Um dia, antes da sessão, conversávamos sobre esses rituais, já tão antigos. Uns diziam que poderiam mudar, outros eram contra, por fazerem parte da liturgia, outros que são fora de moda, outros, que a nossa região faz muito calor. Cada um dava sua opinião, quando um colega, brincalhão, disse: pior é na Inglaterra, na Câmara dos Lordes, com aquela peruquinha. Outro lembrou que isso é tão antigo que até a Câmara dos Lordes, no país tão formal, já perdeu a peruca.
Chegou a hora da sessão, a discussão cessou, entramos para o plenário, cada um com sua toga. Devidamente acomodados, foi apregoado o primeiro processo, o advogado levantou-se e apanhou a beca. Ficou muito atrapalhado, não conseguia vestir a indumentária, e foi ficando nervoso.
Eu, presidindo a sessão, tentando acalmá-lo, disse: Excelência, não se preocupe. Essa beca é difícil, mesmo.  Pior era na Inglaterra, como lembrou um colega ainda há pouco, com aquelas perucas. Imagine o calor se fosse aqui.
Pra quê!... O advogado sorriu e disse: Para mim seria até bom. E passou a mão na cabeça. Só aí foi que notei que o advogado era careca.
Ninguém segurou o riso, claro, e os bilhetes de “que fora!” que recebi durante e depois da sessão foram incontáveis.

Ocorreu um erro neste gadget