quarta-feira, 16 de abril de 2014

POEMA : DESAFIO


 
EUS em conflito,
Ego sinistro.
Tal Drumond, digo
E até grito:
E, agora, mulher?

 A esposa passeia
A mãe em pranto
A professora deserta
O futuro incerto.
E, agora, mulher?

 Humildade viaja
Vaidade invade
Loucura acode
Verdade foge
Alegria irradia
Ilusão parodia.
E, agora?

Quer fugir?
Fugir, como?
No trem há perigo,
No busu nem lhe digo,
Você não tem carro,
O sinal está fechado,
Sua roupa é curta,
Você não tem burca.
E, agora?

 A você que toca
A você que canta
A você que dança
A você que escreve,
A você que julga.
A você que pensa.
E, agora?

 Parada aí?
A banda passou,
O tempo passando,
A chuva chegando,
A casa alagando,
O dia morrendo,
A noite é negra.
Por um fio,
A vida apaga.

 Acorda, mulher!

 

Maria Francisca – dezembro/2013.

 

 

 

2 comentários:

  1. Olá Francisca,
    E agora?
    Acordar em todos os sentidos, né? Muito bom.
    Beijos mil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Teresinha, a mulher vive assim. Tem que ter mil olhos e um fôlego de sete léguas. Bjs.

      Excluir

Ocorreu um erro neste gadget