quinta-feira, 12 de junho de 2014

A lua e o sorriso


Tinha uma lua no céu. Uma lua de nada. Fininha...

Um céu tão grande, tão azul e aquela luazinha lá no alto, sem qualquer estrela por perto. Reinava absoluta e solitária.  Tanto olhei que ela sorriu. Não acreditei. Olhei de novo. Certeza. Estava sorrindo. Fixei o olhar. Já não era a lua que sorria. Era Paulo Merçon. Um sorriso tranquilo, inocente. Parecia feliz. Eu gosto de lua. Estou sempre à procura de uma lua no céu. Poetas gostam de lua. Tanto gosta que “vê a lua que ninguém vê”. Deve ser por isso que Paulo estava sorrindo. Estava dentro da lua.

 Fiquei ali parada, esperando que dissesse algo. Silêncio. Só o sorriso. Parecia me provocar. Quem sabe ele declamaria um poema, daqueles lindos que tão bem sabe compor. Poderia ser “Som do crepúsculo”. E fui falando baixinho, na esperança que completasse: Imagine um poema que terminasse em eterno movimento, uma onda debruçada no mar, um giro estático. Nada. Iniciei outro: “Um espelho é polir de instante a rocha invisível do tempo”. Nada, ainda. Só o brilho, o sorriso e o silêncio.

Agora, o sorriso ficou triste. Por que, Paulo? Converse um pouco comigo, pedi. Nada de resposta. Silêncio total. Continuei olhando, esperando, mas o céu começou a escurecer e meus olhos foram se fechando.

De madrugada, acordo sobressaltada, corro à janela.

Nem lua, nem sorriso, nem Paulo.

Fiquei com saudades do poeta.

 
Maria Francisca – Gramado, 02 de maio de 2014.

5 comentários:

  1. Olá Francisca,
    Que lindo!
    Fiquei aqui pensando que os poetas são como os artistas. "Vê os traços em uma pintura que ninguém mais vê". Deve ser por isso que os olhares captam a essência daquele que expõe, com palavras ou linhas, maneiras diferentes do criador. Neste caso, Paulo estava sorrindo, pois estava dentro da lua. Mesmo com saudades é belíssimo!
    Beijos mil

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Grata, Terezinha. Como você é artista, capta o sentido e vê além. Beijos.

      Excluir
  2. Olá, Maria Francisca!
    Minha amiga e comadre falou-me de você hoje, nova na blogosfera, mas já bastante firme na arte de escrever e transmitir sentimentos.
    Adorei o blog e já a estou seguindo, acho que sou sua segunda leitora e membro, mas vamos rapidamente inseri-la no melhor que há nesta blogosfera, mulheres que leem e gostam de trocar ideias com respeito e amizade.
    Lindo seu texto, quase uma poesia!
    um grande abraço carioca

    ResponderExcluir
  3. Olá Maria Francisca!
    Deixei dois comentários ontem por aqui, mas não estou vendo-os, será que foram parar nos Spams, dá uma olhadinha ok.
    beijo carioca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe, minha nova amiga. Eu me atrapalhei com os comentários. Tive que pedir ajuda à sua comadre e minha amiga. Ainda bem, não?
      Grata pela atenção. Bjs.

      Excluir

Ocorreu um erro neste gadget